Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


_2RM6551_u.jpg 

Venceu o Valência Basket na final e levantou o troféu pelo quarto ano consecutivo. Llull foi MVP (22 pontos e 22 de valorização).

 

O Rei das Taças continua a aumentar o seu palmarés com um novo troféu, o número 27 da sua história, o quarto consecutivo numa façanha sem precedentes e o quinto em seis anos. Uma barbaridade para um Real Madrid sem limites, que depois de ter estado contra as cordas nos quartos e meias-finais levantou-se para derrotar o Valência Basket numa final equilibrada que foi desnivelada novamente por Llull, com 10 pontos nos dois últimos minutos (22 e 22 de valorização). Grande jogo também de Randolph (20 e 26) e Ayón (18 e 24). Segundo MVP para Llull após o de Barcelona 2012.

A grande final, entre as duas equipas com melhor valorização da Liga, começou com um Madrid a marcar território depois de uns minutos iniciais de alternâncias no marcador e um bonito duelo ofensivo Llull-Randolph contra San Emetrio-Dubljevic. O conjunto branco soube mover a defesa contrária e encontrar lançamentos cómodos no ataque, limitando, por sua vez, a produção ofensiva valencianista ao extremo e o poste. Mas foi outro poste, Randolph, o protagonista do primeiro quarto. Os seus 10 pontos permitiram à sua equipa ter uma vantagem de +6 (22-16, min. 10).

Ritmo alto
No segundo quarto, o jogo entrou numa dinâmica atacante mais alegre. O Valência Basket desafiou os brancos desde o perímetro com pontos de Sastre e Rafa Martínez. Mas o Madrid respondeu à mesma altura por Carroll (8 pontos). O seu segundo triplo tornava inútil a mudança para defesa à zona por parte dos homens de Pedro Martínez e permitia aos brancos colocarem-se 10 pontos na frente, com 43-33 aos 17 minutos. No entanto, quando parecia terem tudo sob controlo e coincidindo com a entrada de Oriola, sofreram um parcial de 12-4 antes do intervalo que devolveu a igualdade ao marcador (47-45, min. 20).

“LLULL É O MVP COM A MÉDIA DE PONTUAÇÃO MAIS ALTA DAS ÚLTIMAS 20 TEMPORADAS (22,3 PUNTOS)”.

Apesar de ser uma final, o Madrid não tinha ainda encontrado o ponto de tensão e dureza que demonstrara nas meias-finais, circunstância de que o adversário continuava a tirar partido, sobretudo nas zonas próximas da tabela. O Valência Basket, com Dubljevic a ser grande em distâncias curtas, fazia frente a uma equipa branca que via como a perda do ressalto defensivo lhe criava problemas.

Ayón e Carroll
O lado bom era a regularidade no ataque, quase sempre pela via de Ayón (12 pontos neste período), que foi um pilar fundamental para manter a sua equipa na frente durante o terceiro período, com a ajuda dos triplos de Carroll e Llull, que impediram a reviravolta valencianista (74-71, min. 30).

Llull imperial
O Madrid não conseguia resolver o problema no ressalto defensivo nem travar Dubljevic. Mas o Valência Basket também conseguia o seu objectivo porque tinha por diante um adversário mentalmente forte. Carroll, Doncic e Randolph respondiam mas não conseguiam descolar do rival. Sikma pôs o marcador apertado, a 87-85 aos 38'. Era necessário voltar a sofrer... Momento para os melhores, momento de Llull. Oito pontos seguidos num acesso de fúria puseram o adversário KO. Triplo, roubo de bola e cesto e outro triplo inverosímil (excepto para ele, claro) fizeram o 95-87 a pouco mais de um minuto para o fim. O Madrid manteve a cabeça fria apesar do esforço final do Valência Basket em mais um final impróprio para cardíacos (97-95, min. 40).

Ficha técnica
REAL MADRID 97 (22+25+27+23): Llull (22), Rudy (2), Taylor (5), Randolph (20) e Reyes (1) - cinco inicial- Draper (0), Nocioni (0), Doncic (9), Maciulis (3), Ayón (18), Carroll (14) e Hunter (3).
VALÊNCIA BASKET 95 (16+29+26+24): Van Rossom (6), R. Martínez (7), San Emeterio (17), Sikma (6) e Dubljevic (28) – cinco inicial- Diot (2), Sato (5), Vives (2), Oriola (6), Sastre (12), Kravtsov (0) e Thomas (4).

 

in Real Madrid CF

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:00

ultra3.jpg 

Defronta o Valência Basket numa final inédita e na qual pode conquistar o seu 27° título nesta competição (17:30, hora portuguesa).
 

Quarenta minutos e uma vitória. É isso que separa o Real Madrid de conseguir outra façanha sem precedentes: quatro Taças do Rei consecutivas (ninguém o conseguiu no formato de fase final). O último obstáculo para o Rei das Taças (26) será o Valência Basket, numa final inédita nesta competição.
 
Será a primeira vez que disputam um título da Taça entre as duas equipas. Os brancos disputarão a sua quarta consecutiva e sétima das últimas oito. Por seu lado, para os valencianistas será a quarta da sua história. Venceram uma (1998) e perderam duas (2000 e 2006). Esta temporada já se defrontaram por duas vezes, para a Liga, com duas concludentes vitórias madridistas (75-94 e 85-71). Mas todos os jogos são diferentes e no de hoje está em jogo um título.

NA TAÇA, O SALDO É FAVORÁVEL AO REAL MADRID POR 1-0.

O percurso do Real Madrid até à final foi um desafio extremo com a reviravolta no prolongamento contra o MoraBanc Andorra nos quartos-de-final (99-93) e o duríssimo encontro das meias-finais frente ao anfitrião, o Baskonia (99-103). Os homens de Pedro Martínez eliminaram o Herbalife Gran Canaria (88-72) e o Barcelona (76-67).
 
Duas equipas acima de todas
Defrontam-se as duas equipas com melhor valorização da Liga Endesa: Real Madrid (105,47) vs. Valência Basket (98,89). O melhor ataque, o dos brancos, com quase 88 pontos ppr jogo, frente à segunda melhor defesa, a valencianista, que sofre abaixo de 75 por encontro. Por um lado, a eficácia face ao cesto de Llull e Randolph (22,5 pontos de média), o passo à frente, mais outro, de Doncic ou esse intangível que Nocioni sempre proporciona; pelo outro, o poder interior de Dubljevic, a veterania de San Emetrio, o comando de Van Rossom ou o grande momento de Oriola. Melhor, impossível.

 

in Real Madrid CF

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:00

Bernardo Silva disputado por dois gigantes

por Pedro Silva, em 19.02.17

Real Madrid e Manchester United estão interessados no jogador português.

download.jpeg 

Real Madrid e Manchester United deverão motivar no verão uma luta acesa pela contratação do médio ofensivo português Bernardo Silva, do Mónaco.

 

Segundo a imprensa espanhola, o jogador de 22 anos é alvo de fore interesse dos dois clubes, que estão dispostos a pagar valores avultados pela compra do atleta.

 

Bernardo Silva soma nove golos em 37 jogos ao serviço do Mónaco, que é líder da Liga francesa.

 

in SAPO Desporto

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:30

Capas dos Jornais (19/02/2017)

por Pedro Silva, em 19.02.17

marca.jpg

as.jpg 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:00



Madridistas


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Calendário



FIFA Club World Cup 2016


UEFA Supercup 2016


UEFA Champions League 2015/16


Supercopa España 2012


La Liga 2011/12


Copa del Rey 2010/11


subscrever feeds



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D