Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Estrelas do Real Madrid Baloncesto (3)

por Pedro Silva, em 17.02.18

biriukov,0.jpg 

Nome: Biriukov

Posição: Extremo-base

Data de Nascimento: 03/02/1963

País: Espanha

Altura: 1, 94 m

Clubes: МБК Динамо Москва (1983 – 1984); Real Madrid Baloncesto (1984 – 1995).

Ano de fim de carreira: 1995

Palmarés: 4 Liga ACB (1984/85, 1985/86, 1992/93, 1993/94); 3 Copa del Rey de Baloncesto (1984/85, 1985/86, 1992/93); 1 Eurolegue (1994|95); 2 Cup Winners' Cup (1988/89, 1991/92); 1 Korac Cup (1987/88)..

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:44

RealMadridLeganes2.jpg 

O Real Madrid está fora da Taça do Rei. Os madrilenos foram eliminados pelo Leganés devido aos golos fora, após igualdade (2-2) registada no final das duas mãos.

O conjunto de Zidane, que tinha vencido fora por 1-0, viu o Leganés empatar a eliminatória na primeira parte, na sequência de um golo de Eraso.

No segundo tempo, Karim Benzema deu nova vantagem aos merengues, que não esperavam a reação do Leganés: Gabriel marcou novamente e colocou a formação visitante a vencer em pleno Santiago Bernabéu, com vantagem de golos fora no somatório dos dois jogos.

O Real Madrid tentou o tudo por tudo até ao final, mas não mais foi capaz de fazer agitar as redes do adversário. 

O Leganés apura-se assim para a meia-final da Taça do Rei, juntando-se aos já apurados Sevilha e Valência.

 

in ABOLA

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:55

Eis o click?

por Pedro Silva, em 18.01.18

imgS620I213077T20180118222607.jpg 

imagem retirada de zerzero

 

Antes de se dizer que a prestação de hoje do Real Madrid CF foi mediana (muito mediana para ser simpático) ha que dizer - sem qualquer intenção de desresponsabilizar a equipa mais forte (no caso o Real Madrid CF) - que o jogo de hoje contava para a Copa del Rey. Dito de outra forma, a exibição que a equipa da capital espanhola realizou hoje no Estádio Municipal de Butarque foi a típica partida de uma eliminatória que se disputa a duas mãos. Claro que podemos. E devemos . dizer que a equipa de Zidane tinha a clara obrigação de ter feito muito mais do que aquilo que fez para levar de vencida um modesto e muito bem organizado CD Leganés, mas como tendo em consideração as características do jogo de hoje é, então, natural que os pupilos de «Zizou» não tenham dado tudo o que tinham para dar. Acrescente-.se que a tudo isto há, ainda, que juntar o conturbado momento que se vive no Bernabéu e o raio do azar que só traz lesões atrás de lesões.

 

Contudo, tal não pode, nem deve servir para braquear muitas das coisas más que vi o Real Madrid fazer. Isto de se jogar para trás e para os lados pode muito bem ser fruto da fraca moral da equipa madridista, mas fazer tal coisa diante de uma equipa organizada e lutadora como este CD Leganés poderia ter sido fatal. E poderia ter sido fatal porque tal postura por parte da equipa mais forte moraliza a equipa mais fraca, equipa esta que aos poucos vai acreditando que pode fazer uma “gracinha”. Tal acabou mesmo por acontecer na segunda parte deste jogo e só não deu em mais um desastre «blanco» porque Kiko Cassila esteve sempre muito melhor entre os postes do que a jogar com a bola nos pés. E assiam não pode ser Zidane! Se a ideia de jogo era a de se gerir o esforço do plantel porque o calendário começa a “apertar”, então havia que dar tudo por tudo na primeira parte para que os golos da tranquilidade aparecessem. Bem sei que tal parece ser “paleio de treinador de bancada#, mas é assim que as grandes equipas costumam actuar mesmo quando estão a atravessar uma fase má. Se não o fizererm nunca mais sairão desta fase. Espero sinceramente que este grande golo de Marco Asensio e a vantagem «merengue» na primeira mão dos quartos-de-final da Copa del Rey seja o tal click de que o Real Madrid Cf tanto necessita para voltar a jogar como deve ser.

 

Uma palavra final para dizer o quanto apreciei o trabalho do mister do Leganés. Sabendo que a sua equipa é muito mais modesta do que a de Zidane, Asier Garitano apostou na táctica de “equipa pequena” sem ter “encostado o autocarro diante da sua baliza”. As transições defesa/ataque do Leganés eram feitas com cabeça, tronco e membros. Esta inteligente e racional cartada de Garitano teve o condão de causar muitos dissabores à “tremida” defesa do Real Madrid.

 

MVP (Most Valuable Player):  Theo Hernández. O jovem defesa lateral esquerdo do Real Madrid foi o autor da assistência que permitiu a Marco Asensio colocar a equipa de Madrid em vantagem na eliminatória. Para além disto, Theo esteve também quase sempre muito nem a defender e a atacar pelo seu flanco.

 

Chave do Jogo: Inexistente, não obstante a equipa da casa ter feio muito mais do que a equipa visitante para vencer.

 

Arbitragem: Jogo fácil de se dirigir devida à postura correcta de todos os jogadores. Não se deu por Sánchez Martínez e quando tal é assim é porque o trabalho da equipa de arbitragem foi bom.

 

Positivo: Zinédine Zidane. Apostou (exageradamente) na excessiva rotatividade do seu plantel. Durante o decorrer do jogo tentou corrigir o seu erro com as entradas de Isco e Modric em campo e acabou por vencer,

 

Negativo: Borja Mayoral. Um avançado não pode ficar à espera que as bolas venham ter com ele para as meter dentro da baliza adversária. Há que se movimentar em campo para que os colegas tenham espaço para criar o jogo ofensivo de que o avançado tanto necessita. A rever Mayoral!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:55

«¿Qué pasa con los hombres?»

por Pedro Silva, em 10.01.18

imgS620I212501T20180110222901.jpg 

imagem retirada de zerozero

 

«¿Qué pasa con los hombres?» É a pergunta que faço a Zidane e ao actual elenco de atletas profissionais que compõem o plantel do Real Madrid Club de Fútbol… Isto porque o que vi hoje foi mau demais para ser verdade. Um exemplo daquilo que aconteceu neste tenebroso empate caseiro a duas diante do Numancia; a defesa a ficar para trás e a não acompanhar o meio campo e ataque do Real criando, desta forma, um tremendo espaço que o adversário soube aproveitar à vontade para delinear o seu jogo. Tal nem nos juvenis se admitem quanto mais a uma equipa com o calibre do Real Madrid CF!

 

Claro que se pode dizer que a partida de hoje era somente para cumprir calendário dado que a vantagem trazida da primeira mão (3 a 0 a favor do Real Madrid) dava para se encarar o jogo com alguma tranquilidade. Repito; alguma tranquilidade. Daí a jogar-se como se estivessem a fazer um enorme favor vai uma tremenda distância. Quando tal é assim não há treinador que aguente. Mas atenção! Não estou com isto a desresponsabilizar Zidane. Pelo contrário, dado que este seu sistema de jogo sem extremos faz com que se “afunile” em demasia todo o jogo ofensivo da equipa blanca uma vez que nem sempre os defesas laterais estão inspirados nem tem os seus índices físicos no máximo (o mesmo se aplica a Isco, Modric, Cristiano Ronaldo ou a qualquer outro elemento do meio campo/ataque madridista).

 

Hoje muito boa gente perdeu a oportunidade de mostrar a sua valia. Falo, obviamente, de Theo Hernández, Nacho (muito mal batido no lance do empate a duas bolas), Marcos Llorente, Dani Ceballos (autor de uma péssima exibição) e Marco Asensio. Critico especialmente este último dado que Asensio parece ter-se iludido com os elogios que recebeu na ronda inaugural da época.

 

No próximo Sábado regressa La Liga com a equipa “merengue” a receber o famoso «submarino amarillo». O Villarreal Club de Fútbol é o actual 6.º classificado. Está – somente – a 4 pontos do Real Madrid…

 

Uma última palavra para dar os parabéns a este Club Deportivo Numancia de Soria do técnico Jagoba Arrasate. Já na primeira mão dos oitavos-de-final da Copa del Rey este Numancia tinha deixado uma boa imagem de si. Lutadora q.b. e muito organizada tanto a defender como a atacar. Será um caso sério para todas as equipas de La Liga caso esta temporada este brioso Numancia consiga subir ao escalão principal do futebol espanhol.

 

MVP (Most Valuable Player): Mateo Kovačić. Dos poucos (senão mesmo o único) a “remar contra a maré” do marasmo madridista enquanto teve forças para tal. Lutou bravamente contra a organizada linha defensiva do Numancia e criou espaços para os seus companheiros marcarem golo. Merecedor de uma oportunidade de jogar de início no próximo jogo do campeonato.

 

Chave do Jogo: Inexistente. Em momento algum as equipas em campo foram capazes de construir um lance que fizesse com que a vitória pendesse, em definitivo, para o seu lado.

 

Arbitragem: Quase não dei pela presença de José Munuera e restante equipa. E quando tal sucede é porque o trabalho desta foi o exigido, José Munuera esteve bem no lance que ditou a expulsão de Dani Calvo (duplo amarelo).

 

Positivo: As substituições de Zidane. O treinador francês mostrou que estar muito atento ao que se passa em campo e procurou no seu banco de suplentes as soluções que os seus jogadores não quiseram encontrar em campo. Foi pena não terem sido eficazes uma vez que não é permitido trocar mais do que três atletas por jogo.

 

Negativo: Marasmo madridista. Quem joga a passo, desconcentrado e convencido de que as coisas se resolvem por si mesmo porque o resultado da primeira mão era favorável não merece outra coisa senão uma chuva interminável de críticas. A emendar no futuro imediato sff!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:55



Agenda do Real Madrid


Calendário

Fevereiro 2018

D S T Q Q S S
123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728

Pesquisar

  Pesquisar no Blog

MARCA (19/02/2018)


as (19/02/2018)


Publicidade



Espectadores


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.