Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Real só na primeira parte

por Pedro Silva, em 15.04.15

No Vicente Calderón, o dérbi de Madrid, reedição da final do ano passado, deu em grandes promessas, mas em poucos resultados. Intenso e frenético, muitas vezes jogado no limite, o jogo teve um grande Oblak no primeiro tempo a evitar que a boa entrada do Real desse em vantagem. O segundo tempo teve mais equilíbrio e acabou com a equipa da casa por cima. Tudo em aberto para o Santiago Bernabéu.

Entrada muito forte do Real Madrid, dinâmico e pressionante, frente a um Atlético de Madrid à sua imagem: operário, solidário e sofredor. Com uma excelente variação dos flancos (com Modric a música é outra) e um bom envolvimento dos laterais, a equipa de Ancelotti esteve por cima em quase toda a primeira parte.

Preso de movimentos, com um meio-campo estático na construção (Suárez e Gabi) e com Koke estranhamente muito abaixo do que é costume, a equipa da casa sempre teve dificuldades em ligar o seu jogo no primeiro tempo.

Aliás, se ao intervalo o empate estava chapado no marcador, era porque Oblak tinha sido enorme e intransponível na baliza, ajudando a castigar um Real Madrid que só não foi para os balneários a ganhar pela sua ineficácia à frente da baliza.

Ainda assim, o sinal estava dado: este Real Madrid está uns furos bem acima daquele que, por exemplo, tinha vindo ao Calderón ser goleado para o campeonato, por 4 x 0.

Por isso, foi obrigatório o uso das palavras por parte de Simeone, o qual apenas não tinha razões de queixa de Oblak e dos fervorosos adeptos, verdadeiro complemento ao défice qualitativo da sua equipa, que apenas tentou responder nas bolas paradas no primeiro tempo, mas sem sucesso.

Daí que, na vinda dos balneários, se assistisse a uma clara tentativa de fluir com mais objectividade o seu futebol. Canalizando o jogo essencialmente para a direita, o Atlético tentou que fossem os (excelentes) cruzamentos de Juanfran a fazer a diferença. Só que não era dia.

Em suma, assistiu-se a uma segunda parte muito mais contida, pela postura de parte a parte. Os Colchoneros fecharam melhor os espaços e os Merengues não foram tão surpreendentes e dinâmicos, até porque o pulmão no miolo já não estava nas mesmas condições.

Por isso, os últimos minutos foram finalmente da equipa da casa. Com maior fulgor depois da entrada de Raúl Garcia, a equipa acercou-se da área dos Merengues, que passaram por alguns sobressaltos e que contaram com um Varane em bom nível a suster as investidas.

Em suma, um jogo onde faltaram golos, mas no qual não se pode concluir que o empate tenha sido injusto, de todo. Para a semana há mais...

Retirado de zerozero

Melhor em Campo: Luka Modric

luka_modric.jpg 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:00


2 comentários

Imagem de perfil

De Pedro Santos a 15.04.2015 às 01:43

Foi um jogo fraco. Mas o Atlético está agora em vantagem, basta marcar um golo na segunda mão.
Imagem de perfil

De Pedro Silva a 15.04.2015 às 18:23

Carlos concordo que o jogo do Real foi fraco porque só durou uma parte (a primeira). Na segunda a equipa Blanca desapareceu de campo.


Já o Atlético fez o jogo a que estamos habituados. Muita porrada e faltas inteligentes e uma segunda parte a um bom nível.


Agora discordo que o Atlético esteja em vantagem na eliminatória. Quem joga em casa na segunda mão é o Real Madrid CF e basta-lhe um golo para resolver a "contenda".

Comentar post




Calendário

Abril 2015

D S T Q Q S S
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930

Pesquisar

  Pesquisar no Blog

MARCA (19/02/2018)

>

as (19/02/2018)

>

Ballon d'Or France Football 2018


THE BEST FIFA MEN'S PLAYER 2017/18


UEFA Men's Player of the Year 2017/18