Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


_1RM3591_ultraThumb.jpg

Os golos do francês, que realizou um jogo espectacular, e os de Ramos e Bale rubricam a vitória diante do Espanhol. 

Sem Título.png

O Real Madrid já está em velocidade cruzeiro. Não só ganhou os três últimos encontros oficiais como também o fez com um jogo agradável e que convence. Hoje encaminhou o triunfo contra o Espanhol em apenas um quarto de hora com os golos de Benzema e Ramos. O primeiro chegou no minuto 4. Modric entrou na área, disparou e Diego López evitou o tento com uma grande estirada, mas Benzema, muito rápido, aproveitou a recarga e adiantou os blancos.

O 0-2 chegou apenas 11 minutos depois e foi fabricado no laboratório de Solari. Kroos marcou de forma curta o canto para Modric, que colocou o esférico ao segundo poste, onde apareceu Ramos para marcar com um perfeito remate de cabeça. Terceiro golo do capitão nos dois últimos jogos. Apesar da vantagem, o Real Madridcontinuava a dominar o esférico, mas numa jogada isolada, e depois de uma série de ressaltos, Baptistao bateu Courtois aos 25’ e reduziu a diferença.

Obra de arte de Benzema
O conjunto da casa voltava a entrar no jogo mas os madridistas continuavam a serem fiéis ao guião que tinham seguido desde o início. E graças a esse domínio chegaram ao intervalo com uma vantagem maior. Já nos descontos apareceu a obra de arte da noite. Benzema combinou com Vinicius Jr., que lhe devolveu o esférico, e o francês colocou no fundo das redes com um remate em arco tão bonito como colocado perante o qual nada conseguiu fazer a estirada de Diego López.

O REAL MADRID É A PRIMEIRA EQUIPA QUE ALCANÇA OS 4500 PONTOS NA HISTÓRIA DA LIGA.

Solari viu-se obrigado a substituir ao intervalo Ramos, com queixas físicas, por Nacho. Não mudou o encontro após a passagem pelos balneários e as ocasiões mais claras de golo continuavam a ser para os visitantes. Décima primeira finta de Benzema, que deu um recital no RCDE Stadium, maravilhoso passe do francês para Modric aos 57’ e o disparo do croata da marca de penálti obrigou Diego López a brilhar.

Bale regressou com golo
A pressão do Real Madrid continuava a ser asfixiante e o Espanhol apenas conseguia sair do seu meio campo. Assim chegou o quarto golo dos visitaates. Entre Lucas Vázquez e Nacho roubaram o esférico a Baptistao no minuto 69. Bale, que aos 64’ tinha regressado após a lesão, fez o resto. Fugiu a Javi López com uma preciosa manobra de costas e um duplo toque de calcanhar, e bateu Diego López com um remate cruzado. Um minuto depois, o guarda-redes da equipa da casa evitou o tento de Carvajal, que recebeu um passe genial de um inspiradíssimo Benzema.

Tudo parecia já decidido mas o Real Madrid ficou reduzido a dez futebolistas aos 70’ devido à expulsão de Varane. Aí apareceram os melhores minutos do conjunto da casa, que esteve perto de reduzir a desvantagem dois minutos mais tarde num disparo de Sergio García que ficou envenenado depois de golpear em Reguilón e que Carvajalmandou para canto sobre a linha de golo. Quem marcou foi Rosales aos 82’, mas daí até final os madridistas souberam manter a vantagem e obtiveram uma merecida vitória. 

 

Artigo publicado no site Real Madrid CF

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:00

Que dizer?

por Pedro Silva, em 27.02.18

imgS620I215795T20180227205327.jpg 

imagem retirada de zerozero

 

Para ser muito sincero não sei o que dizer sobre esta derrota do Real Madrid CF. Isto porque nem a equipa do Espanyol mereceu vencer nem a equipa de Zidane mereceu perder. Isto se tivermos em linha de conta aquilo que ambas as equipas fizeram durante os 90 e poucos minutos.

 

O que se pode dizer, na minha opinião, é que Zidane tinha a obrigação de ter preparado a equipa «merengue» de uma forma completamente distinta daquela que vimos a entrar em campo. Não estou com isto a falar no onze apresentado, se bem que me custa muito perceber a razão que leva o técnico francês querer fazer de Gareth Bale um avançado. O que estou aqui a tentar dizer é que não é a primeira vez que a equipa de Quique Flores joga de uma forma tal que “não ataca, nem deixa atacar”. Foi muito por causa desta forma de estar em campo do RCD Espanyol que o FC Barcelona perdeu esta temporada no Estádio Cornellà-El Prat na primeira mão dos quartos-de-final da Copa del Rey.

 

Por tudo isto, mais do que colocar em causa o fraco desempenho de atletas como Isco e Bale (por exemplo) ou até mesmo apontar o dedo á equipa de arbitragem que errou – com gravidade - para os dois lados, há antes que apontar o dedo a Zidane que não soube, de forma alguma, preparar a equipa «blanca» para um embate que se adivinhava complicado.

 

Mas atenção. Nem tudo foi mau. Isto de se ter dado tudo por tudo nos minutos finais com Sérgio Ramos na zona do ponta de lança e de se apostar numa dupla de avançados para se tentar dar a volta a um teimoso empate a zero é de se louvar e, espero, que seja para se manter. O problema é que tal atitude deveria ter aparecido mais cedo no referido jogo.

 

MVP (Most Valuable Player): Mateo Kovačić. O internacional croata terá sido aquele que mais se destacou pela positiva. Enquanto esteve em campo procurou sempre colocar a equipa «madridista» em vantagem, mas este viu a sua vontade esbarrar na inércia dos seus colegas e num “muro defensivo” catalão que não queria outra cosia senão forçar um empate a zero ou uma vitória fortuita.

 

Chave do Jogo: Inexistente. Em momento algum ambas as equipas foram capazes de criar um lance que fizesse com que a vitória pendesse para o seu lado.

 

Arbitragem: O Espanyol teve um golo mal anulado aos 30 minutos, quando o árbitro Sánchez Martínez vislumbrou um fora de jogo inexistente de Gerard Moreno. Aos 41 minutos Victor Sánchez cortou um remate de Gareth Bale com o braço e o árbitro mandou seguir. Má decisão a 'compensar' outra má decisão. Má arbitragem com influência directa no resultado final.

 

Positivo: Vontade de vencer. A empatar a zero e o jogo a chegar ao gim, só uma equipa corajosa como este Real Madrid CF se arrisca a ir com tudo para a frente. A manter e a melhorar no futuro.

 

Negativo: Zinédine Zidane. A derrota «merengue» em Barcelona foi injusta, é um facto, mas a verdade é que a equipa «blanca» tinha a obrigação de se ter +reparado melhor para defrontar um adversário que todos sabiam como ia jogar.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:13

Invictos nos jogos fora

por Pedro Silva, em 26.09.16

_N0Y5820_hThumb,0.jpg 

O Real Madrid não conhece o sabor da derrota longe do estádio Santiago Bernabéu.

 

O Real Madrid continua sem conhecer o sabor da derrota fora do estádio Santiago Bernabéu após o empate (2-2) consentido diante do Las Palmas na sexta jornada da Liga. O saldo, até agora, é de duas vitórias e um empate, com 7 golos marcados e dois sofridos.

Real Sociedad e Espanhol foram os primeiros adversários da equipa de Zidane fora. A estreia para a Liga aconteceu em Anoeta, onde um bis de Bale e um golo de Asensio garantiram o primeiro triunfo (0-3). Na quarta jornada, a visita ao RCDE Stadium saldou-se com um 0-2, graças aos golos de James e Benzema. Na sexta, empate contra o Las Palmas (2-2) que permite aos brancos continuarem invictos nos jogos fora.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:03

_N0Y5059_uThumb.jpg 

Os golos de James e Benzema dão a décima sexta vitória consecutiva aos brancos na Liga, recorde do clube.

 

Real Madrid continua firme na liderança, Os brancos somaram, frente ao Espanyol, a sua décima sexta vitória consecutiva na Liga, bateram o recorde do clube e igualaram o máximo histórico do campeonato. Apenas um triunfo os separa agora de conseguir a melhor série de sempre. Não houve um dominador claro no início do jogo e até aos 8 minutos não se viu a primeira jogada de perigo. James marcou o canto e o remate de Ramos de cabeça não foi para a baliza por muito pouco.

A réplica do Espanyol surgiu três minutos depois, mas Casilla esteve mais acertadp do que Baptistão no mano a mano. Os minutos passavam e Zidane viu-se obrigado a tirar Casemiro, que sofrera uma entrada de Diop, fazendo entrar Kroos. 

Golo anulado
O Real Madrid sentia-se cada vez mais confortável e o seu domínio tornou-se evidente após a meia hora de jogo. Os brancos subiram no terreno e as ocasiões começaram a ser mais claras. Benzema, após um grande cruzamento de Marcelo, marcou de cabeça aos 39', mas o tento foi anulado por fora-de-jogo do francês. Também podia ter marcado o Espanhol três minutos mais tarde. A cabeçada de Baptistão saiu a escassos centímetros da baliza dos visitantes.

 

PELO REAL MADRID JÁ MARCARAM 11 JOGADORES DIFERENTES NA LIGA.

 

Tudo parecia indicar que se chegaria ao intervalo sem golos. Até que apareceu James, nos descontos, para desatar o encontro. O túnel que o 10 madridista fez a Diop e o posterior remate cruzado com que bateu Diego López traduziram-se no 0-1.

Benzema sentenciou
O Real Madrid podia ter ampliado a sua vantagem desde muito cedo no segundo tempo. Lucas Vázquez cruzou aos 59 minutos, Asensio tocou a bola para trás com a cabeça e Benzema surpreendeu com uma jogada genial a dois toques. O primeiro para dominar a bola e o segundo, sem a deixar cair, para rematar à meia volta e obrigar Diego López a brilhar. O francês não falhou 11 minutos mais tarde na sequência de uma jogada colectiva espectacular. Lucas Vázquez fez um cruzamento rasteiro e Benzema concluiu-o levando a bola ao fundo das redes ao primeiro toque.


Os brancos já tinham o jogo onde pretendiam e agora bastava-lhes gerir a vantagem para manterem-se no topo da tabela. Assim fizeram, apesar de Casilla ter sido obrigado a aplicar-se após um disparo de Caicedo que bateu em Pepe e mudou de trajectória aos 75'. Isco, aos 83', podia ter aumentado a vantagem, mas Diego López defendeu o seu remate da zona frontal. O líder da Liga mantém o seu rumo, somando de três em três. Na quarta-feira recebe o Villarreal no Bernabéu.

 

In Real Madrid CF

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:45



Agenda do Real Madrid


Calendário

Fevereiro 2019

D S T Q Q S S
12
3456789
10111213141516
17181920212223
2425262728

Pesquisar

  Pesquisar no Blog

MARCA (19/02/2018)

>

as (19/02/2018)

>

Ballon d'Or France Football 2018


THE BEST FIFA MEN'S PLAYER 2017/18


UEFA Men's Player of the Year 2017/18


Publicidade



Espectadores