Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


O calendário até ao Mundial de Clubes

por Pedro Silva, em 22.11.18

_3AM6167_horThumb.jpg

O Real Madrid disputa sete jogos em três competições antes de defender o título em Abu Dabi.
 
Após a paragem para compromissos das selecções, o Real Madrid enfrenta um intenso calendário antes de viajar até Abu Dabi para participar no Mundial de Clubes 2018. Durante estas semanas, os blancos jogam sete encontros de três competições diferentes: quatro da Liga, dois da Champions e um da Taça do Rei.

Os jogadores de Solari retomam a competição no próximo sábado, às 12:00 h portuguesa, no campo do Eibar. Três dias mais tarde, visitam a Roma num jogo decisivo para o Grupo G da Champions. Dezembro arranca com um Real Madrid-Valência da Liga e a segunda mão da eliminatória da Taça frente ao Melilla, ambos no Bernabéu.

Em seguida, a equipa desloca-se a Huesca para disputar uma nova jornada da Liga. Os blancos fecham esta série de encontros com dois jogos em casa. Primeiro, recebem o CSKA de Moscovo no último jogo da Fase de Grupos da Champions, e depois enfrentam o Rayo Vallecano na antecâmara do Mundial de Clubes.
 
OS PRÓXIMOS JOGOS DO REAL MADRID
-Eibar-Real Madrid (Liga, j.13): sábado 24, 12:00 h portuguesa
-Roma-Real Madrid (Champions, j.5): terça-feira 27, 20:00 h portuguesa 
-Real Madrid-Valência (Liga, j.14): sábado 1, 19:45 h portuguesa 
-Real Madrid-Melilla (Copa, 2ª mão 1/16): quinta-feira 6, 15:15 h
-Huesca-Real Madrid (Liga, j.15): domingo 9, 15:15 h portuguesa 
-Real Madrid-CSKA de Moscovo (Champions, j.6): quarta-feira 12, 17:55 h portuguesa 
-Real Madrid-Rayo Vallecano (Liga, j.16): sábado 15, 17:30 h portuguesa 
 
Artigo publicado no site Real Madrid CF

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:03

_AV13133_horizontalThumb.jpg 

Ganhou ao Joventut e soma o sétimo triunfo consecutivo antes de disputar três jogos entre quarta-feira e domingo. 

Sem Título.png 

O Real Madrid passou com distinção o seu primeiro exame numa semana em que tem ainda de disputar mais três jogos. Foi mais difícil do que o previsto, mas conseguiu a quarta vitória à custa de uma grande actuação no último período, dando sequência à eficácia de Carroll (13) e Campazzo (15) e à agressividade de Tavares (13 ressaltos, 20 de valorização), deixando o Joventut a nove pontos. Antes do primeiro tempo, os protagonistas foram Rudy (11), Prepelic (9) e Deck (15). Por sua vez, Pantzar e Yusta estrearam-se esta temporada em competições oficiais.

 
Os primeiros dez minutos ofereceram intercâmbios de golpes e de domínio no marcador. Sem Llull e Causeur, que não foram convocados, a actuação dos blancos teve outros fortes intervenientes neste confronto com um Joventut combativo e liderado por Laprovittola e Dawson. As acções atacantes foram da responsabilidade de um muito eficaz Prepelic (9) e também de Taylor, enquanto que na defesa Tavares começava a impor a sua lei: 22-23 para os verde e negros.

Segundo período
No segundo período assistiu-se à estreia, esta temporada, de Pantzar, a quem Laso confiou a liderança da equipa durante vários minutos. A maquinaria blanca começou a engrenar pelas mãos de Rudy (9) e Deck (8). Este parcial foi semelhante ao primeiro, com alternâncias no placard, e com um Joventut que se mantinha na discussão do resultado, graças a Dawson e Dimitrijevic. O Real Madrid fez um 7-0 antes de recolher aos balneários em vantagem (44-39).

FOI CUMPRIDO UM MINUTO DE SILÊNCIO PELAS VÍTIMAS DAS INUNDAÇÕES EM MAIORCA. 

Os merengues continuaram a acentuar as diferenças, chegando a usufruir de uma vantagem de 10 pontos, devido a uma maior intensidade na defesa, entre outras coisas bem feitas. Mas o Joventut nunca se desintegrou, evidenciando um bom entendimento nas tarefas ofensivas entre Laprovittola e Todorovic. Com Tavares a recuperar energias no banco, foi Reyes (6 pontos) a revelar-se decisivo no jogo interior do Real Madrid. Taylor (5) também esteve em destaque nos anfitriões, ao participar activamente na chegada aos 65-60.

Parcial espectacular
Um parcial de 14-1, com 5 pontos de Carroll e Campazzo, acabou por desfazer o equilíbrio. Os visitantes acusaram a subida de rendimento do Real Madrid no controlo e distribuição da bola, surgindo de novo Tavares a ditar leis e mostrando-se muito poderoso nos ressaltos, enquanto Campazzo se ia sentindo cada vez mas confortável no ataque, ao mesmo tempo que os blancos se encaminhavam para a quarta vitória na Liga. Os últimos minutos serviram para assinalar o regresso de Yusta, depois de algumas semanas lesionado, e deixar o Joventut a nove pontos de distância.

 

Artigo publicado no site Real Madrid CF

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:37

CARROLL_GettyImages-960860572Thumb.jpg 

O extremo-base norte-americano é o jogador estrangeiro com mais encontros disputados na história da equipa merengue.
 
Jaycee Carroll, uma das referências de uma equipa que está a marcar uma era, continuará ligado ao Real Madrid até 2020. O extremo-base norte-americano chegou ao clube em 2011 e tornou-se no estrangeiro que mais jogos disputou com a camisola madridista (513), à frente de Bullock (364) e Hervelle (310).
 
Nas oito temporadas que já leva ao serviço do Real Madrid, Carroll disputou 291 jogos na Liga, 190 na Euroliga, 19 na Taça do Rei, 11 na Supertaça e 2 na Taça Intercontinental. No seu palmarés possui 16 títulos: 2 Euroligas, 1 Intercontinental, 4 Ligas, 5 Taças do Rei e 4 Supertaças.
 
Artigo publicado no site Real Madrid CF

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:16

_1AM0225_horizontalThumb.jpg 

Impôs-se ao Unicaja num final apertado, que foi decidido com um espectacular parcial de 12-1 nos últimos dois minutos e meio. 

Sem Título.png 

O Real Madrid tinha diante de si um exigente arranque da Liga com três jogos em sete dias e resolveu-o com nota positiva, ganhando a três importantes adversários: Iberostar Tenerife no domingo passado; Valência Basket na Fonteta na quinta-feira, e Unicaja de Málaga. Frente aos andaluzes, o conjunto blanco desperdiçou uma vantagem de 15 pontos na primeira parte, mas soube reagir no tramo final a um mau terceiro período. Decidiu o encontro com um demolidor 12-1 quando perdia 77-81 à falta de 2:32. Grande exibição de Tavares (14 pontos, 11 ressaltos e 27 de valorização), com Campazzo (13 pontos e 21 de valorização), Carroll, Reyes e Randolph com dois dígitos em pontos marcados.

 
Nova prova de fogo para um Real Madrid que se apresentava diante dos seus adeptos com as baixas de Yusta, Ayón e Thompkins, e com menos de 48 horas de descanso desde o grande jogo de Valência. Recuperava Taylor, titular e protagonista nos primeiros minutos juntamente com Tavares. Seis pontos seus e outros oito do poste com dois desarmes de lançamentos, neutralizaram um bom arranque dos visitantes liderados por Wiltjer (4-11, min. 4). Sem acerto desde o exterior, mas muito superior no ressalto, o conjunto dirigido por Laso procurou soluções perto do cesto. Ajudou Causeur rompendo a defesa andaluza com as suas penetrações e o Madrid alcançou um 17-2 de parcial (21-13, min. 8).
 
Imparável de três
Aguentou o Unicaja a investida de uns blancos travados pela falta de triplos (o primeiro foi marcado aos 14’, obra de Carroll). A segunda linha da equipa de Casemiro, com maior presença na zona restritiva graças a Lessort e a exibir as suas virtudes triplistas, levou-os a retomar a dianteira com 24-25 no marcador. Nesse momento, o Real Madrid despertou desde os 6,75m, e com esse recurso o seu jogo é letal. Três de Carroll (10 pontos), outro de Campazzo e mais um de Rudy, juntamente com uns bons minutos da dupla Reyes-Kuzmic, e o seu melhor jogo defensivo, forçando sete perdas de bola do adversário, abriram uma brecha de 15 pontos (46-31, min. 19).

FOI RESPEITADO UM MINUTO DE SILÊNCIO DEVIDO AO FALECIMENTO DO ANTIGO JOGADOR DO REAL MADRID JOSÉ LUIS CORTÉS.

O Unicaja regressou com força após o descanso, com Díaz e Milosavljevic ao comando. Primeiro o sérvio (8 pontos) e depois Shermadini, ganhando o jogo na área restritiva aos adversários, propiciaram os melhores minutos dos visitantes. Dois triplos de Salin culminavam a reviravolta com um parcial 0-14 a seu favor. O Madrid não estava confortável em nenhuma das tabelas, encaixando 28 pontos no terceiro período (62-64, min. 30).
 
O melhor Madrid em dois minutos e meio
Havia jogo de novo e ficava para decidir no período final. Reyes e Deck, marcavam para os blancos, enquanto Roberts e Lessort faziam-no para os andaluzes. Um triplo de Roberts colocava o resultado em 77-81 à falta de 2:32. A imbatibilidade da equipa da casa era colocada em causa, mas o Real Madrid exibiu o seu ADN vencedor. Tavares carregou a equipa às costas: 4 lances livres sem falhar, um desarme de lançamento e um ressalto ofensivo, foram decisivos para continuar com a opção da vitória em aberto. Os blancos foram directos em busca do triunfo, e com um 2+1 de Campazzo, duas jogadas defensivas impressionantes, e um triplo de Llull, fulminavam as esperanças do Unicaja com uma reacção magistral. Parcial de 12-1 e segunda vitória em menos de 48 horas, terceira em sete dias. O Madrid chega líder e invicto à sua estreia na Euroliga (quinta-feira 11, 20:00 h portuguesa). 

 

Artigo publicado no site Real Madrid CF

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:53



Agenda do Real Madrid


Calendário

Dezembro 2018

D S T Q Q S S
1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031

Pesquisar

  Pesquisar no Blog

MARCA (10/12/2018)

>

as (09/12/2018)

>

Ballon d'Or France Football 2018


THE BEST FIFA MEN'S PLAYER 2017/18


UEFA Men's Player of the Year 2017/18


Publicidade



Espectadores