Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


História do Real Madrid CF (1941-1950)

por Pedro Silva, em 22.07.18

copaDeEspaña_historia.png

Foi nesta etapa que nasceram os sucessos futuros da instituição e a rivalidade com o FC Barcelona.

 

Foi preciso reconstruir o estádio de Chamartín, formar uma nova equipa e retomar o pulso à competição. Desafios que, graças à figura de Santiago Bernabéu, conseguiram ser superados.

 

Nesta década foram lançados os alicerces daquele que, com o passar dos anos, seria reconhecido como ‘O Melhor Clube do Século XX’.

 

A equipa «blanca» tratou de ultrapassar os efeitos da Guerra Civil (1936-39), que a deixou sem as figuras mais emblemáticas. Sucederam-se contratações importantes!

 

É nesta altura que surgem os nomes de PrudenCorona e Bañón. Autênticos craques da época que marcaram o futebol espanhol (e não só).

 

A 15 de Setembro de 1943, Santiago Bernabéu toma posse como Presidente do clube. Iniciou-se então um lendário mandato no qual a instituição protagonizou grandes conquistas. Bernabéu tomou posse da presidência «madridista» com o intuito de estabelecer laços de concórdia entre todas as entidades.

 

Em 1948 Bernabéu é nomeado Presidente Honorário e de mérito da instituição blanca “pelo seu bem-fazer e o seu empenho constante pela «Sociedad Real Madrid Club de Fútbol»”.

 

Nasce a “velha rivalidade”GALERIA+1,1.jpg

 

Em 1943, nas meias-finais da «Copa del Rey», o Real Madrid CF enfrentou o FC Barcelona. Em Les Corts, a equipa azul-grená ganhou por 3-0. Na segunda mão, os «blancos» acabariam por eliminar o clube «culé» graças a uma extraordinária reviravolta. O Real Madrid CF venceu por uns surpreendentes 11-1! Nasceu aqui a eterna rivalidade entre os dois clubes.

 

Regresso a um passado vencedor


O Real Madrid enfrentou o Valência CF a 9 de Junho de 1946 numa final. Dez anos depois da última vitória da equipa na «Copa del Rey».

 

No estádio de Montjuic, o conjunto «blanco» foi dono e senhor do encontro. Bateram os «ches» por 3-1, somando, desta forma, mais um novo título.

A homenagem de Madrid à equipa «blanca»

 

O Presidente da Câmara de Madrid entregou a Ipiña (Medalha Desportiva da Cidade) pelo facto de o clube ter disputado 237 encontros oficiais. Cada jogador e treinador foi premiado com uma carteira em pele com uma nota de mil pesetas (6 euros).

 

UM SONHO TORNADO REALIDADE, O ESTÁDIO NOVO CHAMARTÍN

 

O estádio de Chamartín já era pequeno para albergar tantos sócios e adeptos «madridistas».

 

O então Presidente da altura. Santiago Bernabéu, quis ver o clube na vanguarda do futebol europeu.

 

Ao fim de 30 meses de obras, a 14 de Dezembro de 1947 foi inaugurado o estádio Novo Chamartín. O campo, de desenho europeu, foi estreado com um jogo amigável frente ao CF Os Belenenses. O primeiro encontro para a Liga espanhola foi frente ao Atlético de Bilbau (5-1).

GALERIA+1,1.jpg

O BOLETIM INFORMATIVO DO REAL MADRID CF

 

Com o Novo Chamartín e os triunfos da equipa, surgiu a necessidade de criar um porta-voz dos adeptos.

 

A 1 de Setembro de 1950, nasceu o Boletim Informativo do Real Madrid CF. A capa da primeira edição foi autografada por Santiago Bernabéu com estes dizeres:

 

Desejo muitos êxitos à redacção do boletim madridista. Conselho de velho: tratem bem os amigos mas muito melhor os inimigos. Um abraço aos merengues.

 

PALMARÉS DO REAL MADRID CLUB DE FÚTBOL (1941-1950)

 

1 Copa del Rey

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:36

História do Real Madrid CF (1911-1920)

por Pedro Silva, em 08.02.18

CopaRegional_historia.png

Entre 1911 e 1920 o futebol espanhol viveu um período de dificuldades e de indefinições. O Madrid Football Club não passou ao lado de tal, mas apesar de tudo o clube conseguiu superá-lo graças à inteligência dos seus dirigentes.

 

Estes mesmos dirigentes, perante um número de adeptos cada vez maior, perceberam a necessidade da mudança de campo para facilitar a afluência de espectadores e, desse modo, obter maiores receitas. Deu-se então a mudança para o Estádio de O’Donnell. O clube «blanco» adquiriu uma dimensão tão grande que a Casa Real de Sua Majestade o Rei concedeu ao Madrid Football Club o título de ‘Real’ (1920).

 

Nesta fase do ainda jovem futebol espanhol pensou-se que a constituição de uma Federação seria uma solução rápida para a crise, mas tal não veio a ser uma realidade. Cada clube olhava apenas pelos seus interesses e enquanto uns apoiavam a «Federación Española de Clubs de Football», outros formaram um organismo paralelo: a «Unión de Clubes».  Também em Madrid predominava um sentimento de desilusão e de desencanto. Inclusive a junta directiva da altura teve mesmo de evitar a ‘demissão’ do seu presidente, Adolfo Meléndez.

 

Contudo a duplicação de competições e de interesses não enfraqueceu, no entanto, a expectativa em torno do futebol. Os adeptos «madridistas» continuavam a ir ver os jogos do Madrid Football Club.

4,3.jpg 

Jogo internacional de cariz amigável no Estádio de O`Donnell

 

Com a mudança para Estádio de O’Donnell (na imagem em cima e em baixo), o Madrid Football Club deu um grande passo no sentido da sua profissionalização. Com mais espectadores, havia maiores receitas e maiores orçamentos para se contratar jogadores.

GALERÍA+3,1.jpg 

Jogo no Estádio de O`Donnell

 

O Estádio novo era melhor do que o anterior que se situava na ‘Villa y Corte’ de Madrid.  O Estádio de O’Donnell tinha, inclusive, maior capacidade dado que a sua lotação era de 5.000 espectadores.

 

A temporada de 1915-16 marcou negativamente a vida do «madridismo». A brilhante participação do Madrid Football Club no Campeonato de España culminou num amargo vice-campeonato. Depois de ter derrotado o Real Club Deportivo Español nas meias-finais da prova, o  Madrid Football Club acabaria por perder o título para o Athletic Club numa marcante final.

 

As circunstâncias que rodearam esta final tiveram consequências e terminaram com a demissão, dias mais tarde, de toda a junta directiva. Pedro Parages assumiu a liderança do clube em detrimento de Adolfo Meléndez. A mudança acabaria por dar frutos. Na temporada seguinte o Madrid Football Club voltava a ser campeão de Espanha.

2,1.jpg 

Equipa campeã da Região Centro

 

AFONSO XIII INTERCEDE PARA SER ASSINADA A PAZ NO FUTEBOL

 

Face à irresolúvel disputa entre a «Federación Española de Clubs de Football» e a «Unión de Clubes», o Rei Afonso XIII decidiu intervir.

 

Sua Majestade, o Rei Afonso XIII recebeu o presidente da altura da «Federaçión», Juan Padrós, e reconheceu este organismo como sendo o único representante do futebol espanhol. Ao mesmo tempo, este incentivou a «Unión» a “federar-se e a esquecer as quezílias antigas”.

 

A partir deste momento, assinou-se a paz que voltou a colocar o futebol espanhol sobre carris.

 

SANTIAGO BERNABÉU, COMO JOGADOR (1913)

 

Solucionados os problemas organizativos e de representatividade, tudo voltou à normalidade.

 

GALERÍA+4,1.jpg

Foi nessa altura que surgiu a grande figura do Madrid Football Club: Santiago Bernabéu (na imagem ao lado).

 

E fê-lo como futebolista. Avançado robusto e com grande capacidade goleadora, o natural de «La Mancha», Santiago Bernabéu, acabaria por se tornar no capitão da equipa e grande referência do clube.

 

Era um presságio do que sucederia anos mais tarde, então já à frente da instituição.

 

PALMARÉS DO MADRID FOOTBALL CLUB (1911 - 1920)

 

1 Campeonato de España

5 Campeonato Regional Centro

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:04

Estrelas do Real Madrid CF (II)

por Pedro Silva, em 05.09.15

BERNABEU.jpg 

Santiago Bernabéu Yeste

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:16

Enorme Isco!

por Pedro Silva, em 03.12.14

Sem Título.jpg 

O jogo já tinha destino traçado pois o Real Madrid CF já tinha vencido na primeira mão da eliminatória, mas exigia-se uma goleada e a equipa cumpriu com uma exibição que rondou a excelência.

Os comandados de Ancelotti só não foram excelentes porque antes de a goleada ter começado a tomar forma um defesa Blanco fez disparates e provocou uma escusada Grande Penalidade. Felizmente o Jogador adversário não aguentou a pressão e falhou.

Destaco a fabulosa exibição de Isco. O Malaguenho está a transformar-se num Jogador fora de série. Tiro o chapéu a Ancelotti por estar a criar um fora de série do meio campo Merengue. E queria o Italiano fazer de Isco um Avançado…

Sábado há mais. O jogo vai-se realizar em casa ante o Celta de Vigo… Vai ser difícil ver este jogo ou não tivesse eu uma grande admiração pelo Celta que é o único e autêntico representante da Galiza.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:14



Calendário

Fevereiro 2019

D S T Q Q S S
12
3456789
10111213141516
17181920212223
2425262728

Pesquisar

  Pesquisar no Blog

MARCA (19/02/2018)

>

as (19/02/2018)

>

Ballon d'Or France Football 2018


THE BEST FIFA MEN'S PLAYER 2017/18


UEFA Men's Player of the Year 2017/18