Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Dúvidas houvessem….

por Pedro Silva, em 15.08.18

a-vinganca-ali.jpg 

imagem retirada de zerozero

 

Não conhecesse eu o trabalho de Julen Lopetegui e estaria muito surpreendido pelo escandaloso resultado da Supertaça Europeia. Alías, antes de o embate diante do Atlético ter sequer começado eu já prognosticava uma derrota «blanca» neste dérbi… A razão para tal estava, fundamentalmente, no facto de Lopeteguis ser um obcecado com a posse e do outro lado estar uma equipa cuja forma de estar “destrói” - quase por completo - esta fórmula. O que eu não contava era que a derrota fosse tão volumosa…

 

Uma “lopeteguice” ditou o 4 a 2 a favor do Atlético. Nada que eu já não conheça, ou não tivesse eu aturado tal coisa aquando da passagem desta “coisa” pelo comando técnico do Futebol Clube do Porto. E qual foi a “lopeteguice” de hoje? Simples. Retirar Casemiro do campo para no seu lugar colocar Dani Ceballos. Ditou de outra gorma, como o jogo equilibrado e mais ou menos controlado diante de um adversário que luta até ao último segundo, Lopetegui retira do campo o único jogador do actual plantel capaz de ajudar a suter a famosa pressão «colchonera» para no sue lugar colocar um criativo em formação. Brilhante Julen. Simplesmente brilhante!

 

Agora vamos ler a dita “prensa” a fazer de Keylor Navas o responsável pelo sucedido ou não tivesse o “fabulástico” Florentino deiuxado sair o Melhor Treinador do Mundo e o Melhor Jogador do Mundo para ficar com um marreta que foi corrido da selecção espanhola e o Melhor Guarda-redes do último Mundial de Futebol que se realizou na Rússia. Esta vai ser uma época longa…

 

MVP (Most Valuable Player): Gareth Bale. Lutou muito e procurou sempre dar tudo por tudo pelo Real Madrid CF. Fez uma primorosa assistência para golo e deu sempre muito que fazer a uma duríssima defesa da equipa de Simeone. Merecia outro resultado e não fazer parte desta tremenda humilhação made ine Julen Lopetegui.

 

Chave do Jogo: Já aqui falei nela. A saída de Casemiro do relvado para a entrada de Dani Ceballos. Até à saída de Casemiro o Real ia conseguindo “estancar” as perigosas investidas ofensivas do Atlético, depois da saída do internacional brasileiro a equipa «colchonera» tomou conta do jogo e impôs a sua força ofensiva e o resultado final da partida.

 

Arbitragem: Arbitragem com altos e baixos. Permitiu, aqui e acolá, a habitual brutalidade da equipa de Simeone e esteve bem ao assinalar uma Grande *Penalidade a favor do Real Madrid CF por mão na bola de Diego Costa na área de Oblak.

 

Positivo: Keylor Navas. Coutrois para quê? Só mesmo a gestão “à galáctico” poderá justificar a contratação do guardião internacional belga quando a baliza «merengue» já estão tão bem entregue.

 

Negativo: Raphael Varane. Campeão do Mundo ao serviço da sua selecção? Ok. Mas desde quando é que tal dá a Varane o direito de ter sido a nulidade que foi hoje?

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:18

horiz6Thumb.jpg 

O vencedor da Champions procura conquistar o primeiro título da temporada em Talin frente ao vencedor da Europa League (20:00 h portuguesa).
 
O Real Madrid procura conquistar hoje a sua quinta Supertaça Europeia e tornar-se ainda no único a conseguir conquistar três consecutivas. O desafio para a equipa orientada por Lopetegui é enorme e para o conseguir terá que superar o Atlético de Madrid na primeira ocasião na história da competição que se enfrentam duas equipas da mesma cidade (20:00 h portuguesa). O primeiro dos cinco títulos a que aspiram os madridistas esta temporada decide-se no estádio A. Le Coq Arena em Talin.

O vencedor da Champions League começa, portanto, a temporada oficial como terminou a anterior: a disputar uma final. Depois de quase um mês de exigente trabalho de pré-temporada e de quatro jogos amigáveis (três nos Estados Unidos e o Troféu Santiago Bernabéu), os jogadores de Lopetegui apresentam-se com a intenção de levantar um novo troféu. “O Atlético de Madrid vai levar-nos ao limite e há que fazer um grande jogo. Ganhar títulos faz parte da nossa história e vamos tentar conseguir mais um”, sentenciou na conferência de imprensa prévia o técnico, que chamou 29 futebolistas.

O REAL MADRID GANHOU AS QUATRO ÚLTIMAS SUPERTAÇAS EUROPEIAS QUE DISPUTOU. 

O Real Madrid, que marca há 30 jogos europeus consecutivos, ganhou as últimas 11 finais disputadas num só jogo que participou: quatro da Champions League em Lisboa (2014), Milão (2016), Cardiff (2017) e Kiev (2018), três Mundiais de Clubes em Marrocos (2014), Japão (2016) e Emirados Árabes Unidos (2017), três da Supertaça Europeia em Cardiff (2014), Trondheim (2016) e Skopie (2017) e uma da Taça do Rei em Mestalla (2014).
 
Pela frente vai estar o vencedor da Europa League, que já enfrentou os madridistas nas finais da Champions League de Lisboa e Milão. O Atlético de Madrid disputa a sua terceira Supertaça Europeia e não conhece a derrota nesta competição. Ganhou em 2010 ao Inter de Milão (0-2) e dois anos mais tarde ao Chelsea (1-4). A primeira final europeia disputada na Estónia recebe o primeiro dérbi da temporada.

 

Artigo publicado no site Real Madrid CF

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:55

Os 29 convocados para a Supertaça da Europa

por Pedro Silva, em 13.08.18

_3AM4945.jpg 

O Real Madrid defrontará o Atlético de Madrid na A. Le Coq Arena de Tallinn (quarta-feira, 20:00 hora portuguesa).
 
Julen Lopetegui convocou 29 jogadores para a viagem rumo a Tallinn (Estónia), onde o Real Madrid medirá forças com o Atlético de Madrid, com o intuito de conquistar a terceira Supertaça Europeia consecutiva (quarta-feira, 20:00 hora portuguesa).

Guarda-redes: Navas, Casilla, Luca, Lunin e Courtois.
Defesas: Carvajal, Vallejo, Ramos, Varane, Nacho, Marcelo, Odriozola, Reguilón, Javi Sánchez e S. López.
Médios: Kroos, Modric, Casemiro, M. Llorente, Asensio, Isco, Ceballos e F. Valverde.
Avançados: Benzema, Bale, Lucas Vázquez, B. Mayoral, Raúl de Tomás e Vinicius.
 
Arrtigo publicado no site Real Madrid CF

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:55

O melhor ano da nossa história

por Pedro Silva, em 31.12.17

_3AM1092_ultraThumb.jpg 

O Real Madrid ganhou em 2017 a Liga, a Champions, a Supertaça Europeia, a Supertaça de Espanha e o Mundial de Clubes.
 
O ano 2017 chega ao fim deixando na memória de todos os madridistas os 5 títulos conquistados. A Liga, a Champions, a Supertaça Europeia, a Supertaça de Espanha e o Mundial de Clubes ficam nas vitrines do Santiago Bernabéu junto ao resto dos troféus que conferem um palmarés invejável.  

A primeira alegria veio da competição da regularidade. O trabalho reflectiu-se durante as últimas 30 jornadas, durante as quais o Madrid liderou a classificação. Não foi fácil e houve momentos em que a equipa teve que ultrapassar as circunstâncias. Exemplos disso são as reviravoltas em Gijón ou em Villarreal, o empate com o Barcelona em Camp Nou ou os triunfos no Bernabéu frente ao Deportivo da Corunha, ao Bétis e ao Valência.

O Real Madrid marcou pelo menos um tento nas 38 jornadas pela primeira vez na história, estabeleceu um novo recorde de golos fora na historia da Liga e voltou a superar os 100 golos na temporada. Tudo isso culminou em La Rosaleda com uma vitória por 0-2 na última jornada contra o Málaga, que recordamos neste vídeo:
 
O rei da Europa voltou a coroar-se vencedor da maior competição continental. Fê-lo pelo segundo ano consecutivo, algo que só está ao alcance do Real Madrid na era Champions. Cristiano Ronaldo, foi pela quinta vez consecutiva, o melhor marcador da competição. Foram memoráveis os quartos-de-final contra o Bayern de Munique, vencendo na Alemanha e dando a volta no Bernabéu.

Uma final para a história
As meias-finais, inesquecíveis. De novo o Atlético de Madrid no caminho e um hat-trick de Cristiano Ronaldo no Bernabéu e uma acção mágica de Benzema no último jogo europeu do Vicente Calderón garantiram o bilhete para Cardiff. A 3 de Junho, o Real Madrid tinha um novo encontro com a história e não falhou. Pela frente, a Juventus de Turim para reeditar a final de Amsterdão na qual os blancos venceram a Sétima. Os golos de Cristiano (2), Casemiro e Asensio deram a Décima Segunda ao Madrid num encontro histórico.
 
Após fechar a temporada com uma dobradinha de Liga e Champions, a sede de títulos na parou no início da nova campanha. Em Agosto, Real Madrid e Manchester United mediram forças pela conquista da Supertaça Europeia na Macedónia, e os blancos trouxeram a quarta Supertaça da sua história para Madrid. Casemiro e Isco foram os artificies da vitória com os seus golos.
 
Supertaça, supergolos 
Dias mais tarde, duplo confronto com o Barcelona pela Supertaça de Espanha. Uma competição na qual Cristiano Ronaldo e Asensio fizeram três grandes golos. Na primeira mão, o português saltou para o relvado do Camp Nou no segundo tempo e colocou a bola no ângulo para fazer o 1-2. Asensio imitou-o minutos mais tarde fazendo o 1-3 definitivo. Na segunda não, disputada no Santiago Bernabéu, o natural de Maiorca repetiu o disparo da primeira mão num jogo onde Benzema também marcou.
 
Chegados a este ponto, a cereja no topo do bolo a um ano mágico teria de ser colocada no Mundial de Clubes. E assim foi. O Real Madrid proclamou-se em Abu Dabi campeão mundial pela sexta vez na sua história. Cristiano Ronaldo foi novamente protagonista com o seu golo na final, tornando-se também no melhor marcador da história do Mundial de Clubes. Alcançar o êxito em cinco competições supõe a melhor forma de colocar ponto final no ano mais brilhante da história do melhor clube do mundo.
 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:00



Agenda do Real Madrid


Calendário

Fevereiro 2019

D S T Q Q S S
12
3456789
10111213141516
17181920212223
2425262728

Pesquisar

  Pesquisar no Blog

MARCA (19/02/2018)

>

as (19/02/2018)

>

Ballon d'Or France Football 2018


THE BEST FIFA MEN'S PLAYER 2017/18


UEFA Men's Player of the Year 2017/18


Publicidade



Espectadores